10/01/2018


E eu resolvi me enfiar em mais um projeto de leitura!

ALIÁS, FELIZ 2018!!!

Eu não sei vocês, mas eu tô animadíssima para esse ano. Resolvi me organizar direito e tô mais que focada nos projetos de leitura que eu me comprometi a participar. Agora são 2!

Bom, vamos entender melhor....
Enquanto eu resolvia que iria recomeçar a série One Tree Hill, isso porque eu sempre começava e não passava da 3ª temporada, eu tive a ideia de fazer uma lista dos livros citados na série. Isso porque o personagem Lucas Scott que é o "mais principal" sempre estava citando algumas passagens de livros que ele lia. Lucas é um leitor apaixonado e inclusive se torna um autor mais para frente.

Mesmo não sendo o foco da série que sempre volta para o basquete, outra paixão de Lucas, eu resolvi fazer mesmo assim. Apesar de várias burradas, Lucas é um personagem maravilhoso e suas citações eram lindas e sempre trazia lições para o episódio em questão. A lista não chega nem na metade do de Gilmore Girls, afinal era só ele que realmente lia e o personagem vai embora antes da série acabar o que faz com que as citações de livros parem. Mas a lista ainda é especial para mim.

Com sorte, alguns livros também estão na lista da Rory o que me ajuda a diminuir aquela lista gigante! hahahah

A lista foi feita por mim, nem sempre foi possível achar de onde a citação foi tirada. Muitas vezes eu acabei descobrindo apenas o autor, mas tudo bem. Ah, também há 3 livros que eu infelizmente nunca poderei ler.... os dois escritos pelo próprio Lucas Scott e um de auto ajuda escrito pelo pai dele, Dan Scott. Vida que segue, infelizmente,

Vou fazer resenhas dos livros lidos da lista, para ver o progresso é só clicar na imagem do projeto aqui do lado direito, junto com a do Rory Gilmore Book Project. Já estou super animada para começar!

03/01/2018


One Tree Hill é uma série de drama adolescente lançada em 2003 e que foi ao ar até 2012, totalizando 9 temporadas e puro drama que eu adoro!

Meu objetivo era fazer um texto falando sobre a série e como ela era importante para mim mas devido a atuais acontecimentos (que vou falar mais adiante) eu desanimei e quase desisti de fazer qualquer coisa sobre, mas querendo ou não ela é importante para a minha formação como pessoa e por isso eu resolvi não deixar passar em branco e vou listar alguns motivos para você assistir caso te interesse.

Bom, a história é um pouco enrolada e por isso tentarei ser breve ao falar sobre. A história segue a vida de Lucas Scott, um adolescente apaixonado por basquete e filho de Karen, que engravidou de Dan ainda adolescente. Dan engravidou Debbie na época em que namorava Karen e ao descobrir das duas gravidez ele escolheu ficar com Debbie pois sua família tinha dinheiro. Dessa forma, Lucas tem um meio irmão chamado Nathan. Dan e Nathan não possuem nenhum laço com Lucas e meio que o odeiam só por ele existir. Lucas sente muita raiva de Dan mas é feliz com sua mãe e seu tio Keith, irmão de Dan, que é como um pai para ele. Além de todo esse pessoal existem outros personagens importantes como a Haley, melhor amiga de Lucas e futuro interesse amoroso de Nathan; Peyton, a grande paixão de Lucas e Brooke, melhor amiga de Peyton que se apaixona por Lucas.

Parece uma grande novela mexicana não é mesmo? Talvez seja mesmo pois é recheado de drama que as vezes chega a ser absurdo! Mas enfim, vamos para os motivos.

1. Os personagens
Uma das coisas mais importantes em qualquer história é a construção de personagens. Não tem como uma história funcionar se os personagens forem rasos e/ou chatos e não interessantes. One Tree Hill não tem esse problema já que todos os personagens são muito bem pensados e são tão profundos e verdadeiros que não tem como você não gostar deles. Até aqueles que você deveria odiar pois são péssimas pessoas, é possível ver o desenvolvimento e crescimentos de todos durante o desenrolar da série.


2. As citações literárias
Lucas Scott é um leitor nato e apaixonado por literatura e por isso em boa parte dos episódios há
uma citação de algum livro ou autor que é importante para o contexto do episódio. É uma boa forma de conhecer livros novos, sem falar que são sempre citações lindas e inspiradoras... o que nos leva para o próximo motivo.

3. Lições
A série é sobre crescimento. Acompanhamos um grupo de adolescentes crescer até virarem adultos formados e com família. Por isso há sempre uma liçãozinha a ser aprendida em todo o episódio, mesmo que seja alguma pequena. É legal prestar atenção nisso e talvez trazer para nossa vida.

4. Trilha Sonora
One Tree Hill vai ser provavelmente a série com a melhor trilha sonora que você vai ter contato. Não há uma música que não seja perfeita para a cena em que foi colocada. Também é uma ótima forma de conhecer bandas e cantores diferentes, considerando que boa parte dos artistas que aparecem são desconhecidos aqui no Brasil. Já vou adiantar dois pra vocês: Kate Voegele e Tyler Hilton. Só escutem! ;)

5. Naley (Nathan + Haley)
E por último mas não menos importante: Naley, o melhor casal das séries!
O relacionamento deles tem início com Nathan querendo irritar Lucas mas ele não esperava que fosse realmente gostar da garota nerd da escola. O personagem de Nathan é o que mais cresce na série toda, ele começa como um garoto popular babaca e termina como o melhor pai/marido do mundo! Eles são os melhores personagens sozinhos e juntos. Se tem um deles em cena pode ter certeza que você vai se divertir.


EXTRA: Motivo para talvez não assisir

É complicado falar sobre One Tree Hill agora, isso porque ela é extremamente importante para mim e mesmo tentando ao máximo separar ela de seu criador, é difícil.

O que aconteceu foi que o criador da série, Mark Schwahn, foi um dos diversos homens acusados de assédios recentemente. Me deixa triste pensar que uma pessoa horrível que é capaz de abusar de jovens mulheres simplesmente porque tem esse poder pode ter criado uma série tão linda e inspiradora como One Tree Hill. Te faz pensar também que nada sabemos das pessoas e que a existência de coisas boas não significa que o mal não esteja ali.

É bem provável que eu nunca mais assista a série depois disso tudo. Eu não consigo não ver essa pessoa por trás das cenas inspiradoras e lindas que a série possui. Infelizmente One Tree Hill foi estragada para mim, mas espero que vocês consigam dar uma chance para ela. Ela pode te ajudar de alguma forma, mesmo que seja para lembrar que pessoas más também podem fazer coisas boas. É preciso ficar em alerta sempre.

19/12/2017


Mais uma vez aqui para falar sobre Lauren Graham. Caso não conheçam, ela é a atriz que deu vida a Lorelai Gilmore da série Gilmore Girls, ela se aventurou no mundo da literatura e publicou seu primeiro livro Quem Sabe Um Dia em 2013 (inclusive tem resenha aqui). Ela voltou a escrever e lançou em 2016 o seu segundo livro: Falando o Mais Rápido que Posso - De Gilmore Girls a Gilmore Girls e Tudo no Meio do Caminho.

Nesse segundo livro que tem o título maior que o livro em si rsrs, Lauren não nos entrega uma narrativa fictícia como fez em Quem Sabe Um Dia, mas acaba tratando do mesmo tema: atuação. Na resenha do primeiro livro eu comento como é fácil ver Lauren na personagem Franny e mesmo não tendo a intenção de ser autobiográfico, o romance dela nos mostra um pouquinho da trajetória de Lauren como atriz, e isso fica mais claro ainda ao ler Falando o Mais Rápido que Posso.

Nessa pequena autobiografia, Lauren nos conta um pouco sobre sua infância e como foi sua vida antes de começar a perseguir sua carreira como atriz. Como o título sugere, seu objetivo é nos contextualizar em sua trajetória para chegar ao momento em que ela entrou em Gilmore Girls pela primeira vez, o que ela fez depois que a série acabou e como ela chegou ao ponto de interpretar Lorelai novamente no revival feito pela Netflix. Acho que é mais que claro que o livro é feito para fãs da Lauren, mas muito mais para fãs da Lauren e Gilmore Girls.


Nesse livro Lauren nos conta acontecimentos de sua vida e nos traz uma reflexão sobre o que aconteceu e como isso afetou ela, seja pessoalmente ou profissionalmente. Ela consegue ser extremamente engraçada e ainda te dar uma liçãozinha de moral. É como se você estivesse conversando com sua melhor amiga, juro! Eu vi algumas pessoas dizendo isso e não botei fé, mas acontece de verdade. Lauren é poderosa em sua escrita e consegue ganhar seu leitor.

É um livro interessante para quem é curioso para saber como é perseguir a carreira de atriz. Eu já quis ser uma atriz e nunca tive a menor ideia de como era esse mundo. Já não tenho mais esse sonho, mas a Aline do passado ficou extremamente grata de finalmente ter uma luz. HAHAHA Como disse anteriormente, é um livro feito para fãs. Então se você é fã da Lauren e/ou Gilmore Girls, vai fundo! Se não, talvez não seja a melhor leitura para você. Pode ser que você se apaixone por ela e queira ver a série... não sei. Faça o que seu coração disser. De qualquer forma, eu como fã amei essa leitura. Foi uma das mais divertidas e me fez querer rever a série toda. Coisa que já planejo fazer ainda esse ano e.e

Título original: Talking as Fast as I Can: From Gilmore Girls to Gilmore Girls (and Everything in Between)
Autora: Lauren Graham
Editora: Grupo Editorial Record 
Páginas: 239
Tradução: Ananda Alves
COMPRAR

O que eu achei?
não me cativou | okay | legal | me cativou | amei demais | alma gêmea | ONDE ESSE LIVRO TAVA SE ESCONDENDO?

12/12/2017


Do Éden à Luxúria é o primeiro livro de uma trilogia intitulada O Círculo dos Imortais e vai nos contar a história de Melissa, uma adolescente de 17 anos com uma personalidade um tanto quanto difícil. Ela mora em uma pensão, cujo a dona é amiga de sua mãe. Ela possui dois melhores amigos: Daryl e Megan, eles são completamente diferentes e se odeiam.

Toda a história tem seu começo real quando Megan convence Melissa de ir a um bar super estranho e sinistro chamado Devil's Throat do ingles 'garganta do diabo' suas bestas né? Com um nome desses não tinha porque dar errado né? BOM, no meio do rolê a Melissa acaba desmaiando e é socorrida por William, um rapaz super misterioso e gato. É depois desse acontecimento que tudo começa a mudar.

Melissa tem pesadelos e começa a ter visões, de repente ela precisa entender tudo que anda acontecendo com ela e conciliar isso tudo com sua vida comum de adolescente como ir as aulas, sair com os amigos e se apaixonar por William.

O livro da Ananda V. é levemente grandinho, o que me assustou no começo. Não que eu tenha medo de livro grandes, eu adoro. Mas é que minha leitura foi feita no kindle e eu fico aflita de não ver fisicamente o quanto eu já li e quanto falta para acabar. Mas a narrativa é tão bem feita que isso não me incomodou tanto, a autora consegue te prender facilmente na história que ela tá contando e você quer saber mais e mais sobre tudo que rola na vida da personagem.

É incrível também como ela deixa um ar de mistério no ar, quando notei que havia algo errado com William eu já comecei a minhas teorias sobre o que era e acabei mudando de palpite e mesmo estando certa desde o início eu fiquei surpreendida de como ela me fez mudar anteriormente. O mais incrível também é que ela não precisa usar a palavra para dizer o que ele é. Adorei demais isso.

Mas há uma coisa que me incomodou na história... nada muito crucial ou que me fez desistir ou mesmo desanimar: as constantes descrições das roupas que Melissa usava ou o que estava escutando, me pareceu forçado em alguns momentos como se fosse necessário para a personagem se auto afirmar rebelde do jeito que ela é. O que pode até ter sido a intenção, não sei. Mas na minha opinião poderia ser um pouco menos frequente.

Mas fora isso é um livro excelente e fiquei surpresa com o quanto eu gostei. Isso porque eu não ando muito na vibe de histórias fantásticas ou séries de livros. Ando focando mais em livros mais perto da realidade e únicos. Mas Ananda conseguiu me prender facilmente e sou grata por isso. Agora tô louca para ter o segundo livro em mãos e descobrir o que vem a seguir que tô curiosa!

*peço perdão por qualquer erro ou furo cometido nesse post, escrevi algum tempo depois de ler e posso ter esquecido alguma coisa, não desistam de mim!*


Título Original: --
Série: O Círculo dos Imortais #1
Autora: Ananda V.
Editora: Arwen
Páginas: 528
Tradução: --
COMPRAR


O que eu achei?
não me cativou | okay | legal | me cativou | amei demais | alma gêmea | ONDE ESSE LIVRO TAVA SE ESCONDENDO?

05/12/2017


*livro recebido em parceria com a editora*

O dia em que os Correios chegou em casa com esse livro foi um dos dias mais felizes do meu ano de 2017. Passei por maus bocados esse ano, em diversos graus eu me machuquei e me decepcionei com pessoas que eram de extrema importância para mim e Anne, mais uma vez, me ajudou a superar isso e a aquecer meu coração partido.

Não sei explicar exatamente como isso acontece, mas vejo Anne como uma amiga que mora longe de mim. Isso desde a primeira vez em que tive acesso ao seu diário, quando eu tinha uns 12 ou 13 anos. Foi bem fácil essa conexão já que eu tinha quase a mesma idade que ela quando seu diário teve início. É simplesmente incrível que sempre que eu preciso de um certo conforto, ou ainda um incômodo eu encontro no diário de Anne.


Anne Frank relata eu seu diário sua vivência no esconderijo em que sua família, junto com outra família e depois com mais um homem, tentam fugir das garras da perseguição com os judeus durante a Segunda Guerra Mundial. Infelizmente, eles são descobertos depois de dois anos. O único sobrevivente foi seu pai, Otto Frank, que seguiu o desejo da filha e publicou o diário.

O diário tem início antes da família se refugiar e depois de algum tempo ali, Anne resolve que quando a guerra terminasse ela publicaria um livro baseado no seu diário. Ela então começou a editar algumas partes, melhorando seu texto e excluindo partes não tão interessantes. Mas apesar disso, ele nunca deixou de ser um diário extremamente pessoal. Apesar de ela passar informações sobre o que acontecia do lado de fora do Anexo Secreto, o foco principal é toda a confusão que ela era. Afinal, não somos todos uma junção de sentimentos e confusão?

Anne passa por muitos momentos horríveis e fica extremamente triste enquanto confinada naquele lugar, mas também há diversas passagens em que ela tenta ao máximo permanecer confiante com o que vem a seguir e feliz por estar bem. Ela é uma inspiração para mim. Suas palavras me tocam de forma que eu não consigo descrever e a adaptação para os quadrinhos é de extrema beleza!


Minha sensação ao ler esse quadrinho foi que eu estava vendo a real Anne. As ilustrações captam a essência de Anne e emociona quem está lendo. Eu não tenho muito contato com Graphic Novels mas essa com certeza me fez querer ter um relacionamento com essa linguagem. Os momentos reflexivos do diário são retratados com da melhor forma. Se eu já me sentia conectada com Anne antes, essa Graphic Novel só aumentou essa conexão. Terminei minha leitura com o sentimento de que eu finalmente tinha visto todas as facetas de Anne.

O diário de Anne é um dos relatos mais conhecido dessa época, e é por isso que eu ao ler esse livro eu gosto de pensar que eu não estou apenas lendo sobre Anne. Ela é um representação de todos que sofreram no Holocausto e o que aconteceu não pode ser esquecido.

Título Original: Anne Frank: The Graphic Diary
Autor: Anne Frank - Adaptação: Ari Folman e David Polonsky
Editora: Grupo Editorial Record
Páginas: 159
Tradução: Raquel Zampil
COMPRAR

O que eu achei?
não me cativou | okay | legal | me cativou | amei demais | alma gêmea | ONDE ESSE LIVRO TAVA SE ESCONDENDO?



28/11/2017


Quem Sabia um Dia é o livro de estreia de Lauren Graham, a maravilhosa Lorelai Gilmore de Gilmore Girls e eu estava quase que obcecada em começar a ler desde que eu virei fã dela e soube que ela tinha se aventurado no mundo da literatura. Comprei ele junto com a meio que autobiografia (na verdade não é, falarei mais sobre na resenha dele) dela, Falando o Mais Rápido que Posso e intercalei as leituras, o que foi ótimo para mim.

Isso porque no segundo livro ela conta um pouco sobre como ela decidiu começar a escrever e foi gostoso estar dos dois lados da história. De qualquer forma, o post de hoje não é sobre esse livro e sim do seu romance, então vamos falar dele.

O livro tem como protagonista a Franny Banks, uma jovem adulta que tem como objetivo deslanchar sua carreira de atriz nos 3 anos em que planeja ficar NY. Quando o livro começa, seu prazo está quase no fim o que a faz se sentir desesperada para que algo importante aconteça já que ela não quer de jeito nenhum ser aquele tipo de pessoa que vai sempre aumentando o prazo estipulado e nunca consegue nada.

Ela tem um plano formado: caso sua carreira de atriz não desse certo ela voltaria para sua cidade natal e casaria com seu namorado e se tornaria professora de inglês. O que pessoalmente eu acho um bom plano exceto casar com o antigo namorado, querida você não precisa casar só porque seu sonho de carreira não deu certo. Franny divide seu apartamento com sua melhor amiga e um amigo, ambos estão ali para tentarem seu sonho também o que torna tudo mais divertido.


Lauren Graham consegue criar personagens caricatos e profundos ao mesmo tempo e fica difícil não gostar deles, a não ser que o propósito do personagem seja ser meio idiota o que ela faz com perfeição também sem te levar ao sentimento de raiva total. Ao menos comigo foi assim, personagem não é muito legal mas ele é tão humanizado que não tem como sentir uma profunda aversão por ela.
Depois de alguns capítulos eu tive uma leve impressão que o tamanho do livro era desnecessário e que a leitura ficaria arrastada depois de um tempo e eis que eu estava redondamente enganada!

A leitura não fica arrastada em nenhum momento e só me fez querer mais e mais! É um livro extremamente divertido, tocante e emocionante que te entrega tudo que ele quer e precisa, e pra fazer isso sem te entediar em suas quase 400 páginas é preciso muito talento! Já me deparei com livros com menos de 200 páginas que me faziam querer parar na metade!

Minha experiência com Quem Sabe Um Dia não poderia ter sido melhor, apesar dos personagens serem únicos foi quase impossível não imaginar a própria Lauren como Franny ou ainda trejeitos de Lorelai em Franny. Acho que não é nenhum segredo que apesar de não ser autobiográfico, Lauren traz para o seu livro várias situações reais no meio do showbiz. É lindo e inspirador ver Franny batalhando por seu sonho apesar de toda as dificuldades e situações embaraçosas que precisa enfrentar. Agora tudo que espero é que Lauren Graham nos presenteie com seu talento de escritora por um bom tempo! Tenho certeza que só vai vir coisa boa!

Título original: Someday, someday, maybe: a novel
Autora: Lauren Graham
Editora: Grupo Editorial Record
Páginas: 367
Tradução: Elaine Moreira
COMPRAR

O que eu achei?
não me cativou | okay | legal | me cativou | amei demais | alma gêmea | ONDE ESSE LIVRO TAVA SE ESCONDENDO?